terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Das memórias da família: as histórias da minha avó.

   Tenho passado minhas férias estudando e lendo muito para o doutorado e como já falei aqui eu pesquiso as memórias da infância. Trabalho com as narrativas que meus estudantes fazem em algumas oficinas. Com isso, o tema das memórias invadiu minha vida e agora dei para catar histórias, fazer perguntas e anotar. Estou quase andando por aí com o meu gravador pedindo entrevista para as pessoas, parentes avós e conhecidos. Fico escutando as histórias dos outros e pedindo licença para poder recontar.

Essa caixa era da minha bisa, onde guardava fotos e materiais de costura. Herdei e hoje ela enfeita minha casa e guarda minhas lembranças.

 Dessas histórias/memórias eu sou apaixonada pelas da minha avó. Vovó Lucy é um dos grandes exemplos da minha vida, uma das muitas mulheres guerreiras que estão aí pelo mundo. Ela, hoje com 85 anos, não é dada a recordações, não gosta de lembrar, diz que precisa viver com a cabeça no presente, se não vai ficar velha.  Para evitar de ficar velha vovó lê muito, viaja sempre que pode, vê filmes, seriados(inclusive Dr.Who), lê jornal e revista e sabe de tudo. Nossa família chama ela de Google. Vovó não faz crochê e nem costura, mas adora pintar aquarelas e de uns tempos pra cá minha mãe andou emoldurando algumas para enfeitar a casa. Eu ainda não ganhei a minha mas estou esperando.

   Vovó então, como não gosta de lembrar quase não conta histórias do passado, essas saem quase a saca rolha. Dia desses ela me acompanhou ao médico e na volta pegamos um grande engarrafamento ali, paradas no trânsito ela perguntou sobre a tese. Queria saber que período histórico eu estava estudando. Ficou surpresa quando disse que não pesquisava história e sim memórias de infância.

    Aproveitei a deixa e pedi para elas algumas lembranças, alguns fragmentos. Perguntei como tinha virado médica(vovó é pediatra) lá em Belém do Pára, pois segundo ela havia muita ignorância onde ela nasceu. Ela desconversou, disse que virou médica porque queria saber das coisas. Acho que ela não entendeu minha curiosidade feminista, o que eu queria era saber como a família concordou dela estudar ao invés de casar. Acho que essa história vai ficar para outro dia.

     Ao invés disso ela me brindou com uma história sobre livros; Contou que perto da casa dela havia uma biblioteca particular onde os donos criaram uma espécie de cartão de sócio. A pessoa pagava uma mensalidade e podia pegar os livros emprestados. A biblioteca ficava no porão da casa e era vizinha da minha avó.

 Vovó era louca por livros e queria muito um cartão desses mas sua mãe proibiu. Disse que lá tinham livros que o padre não gostava. Um primo ficou com pena de vovó e fez um cartão para ela de presente.
 Minha avó então ia lá sempre escondida pegar livros emprestados que ela lia escondida da bisa. Essa se visse ela lendo dava logo uma bronca e mandava ela pegar uma agulha e fazer um trabalho útil, que isso de livro não levava a nada.

Segundo vovó a bisa nunca descobriu o cartão e ela pode ir pegando os livros que queria. Acredito que esses livros deviam ter um sabor de aventura, pois além de proibidos eram perigosos, aí da minha avó se a bisa visse, era surra na certa. Com bisa Felica ninguém brincava.
 
Adorei o fragmento e nele entendi um pouco o amor que minha avó tem pelos livros, amor esse que ela passou pra minha mãe e que eu herdei.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Voltando a dieta, o que funciona pra mim.

     Uma das metas de ano novo foi voltar a caber nas minhas roupas, pra mim elas são o melhor referencial de peso. Quando entro naquela de usar blusa folgada e short largo porque todo o resto aperta é que sei que preciso apertar a boca. Não estou falando de dietas radicais nem programas milagrosos. Esses não existem e eu nunca consegui seguir nenhum deles. O que funcionou e sempre funciona pra mim são os Vigilantes do Peso.

   
 O programa deles é bem antigo e o princípio é o da reeducação alimentar. Ou seja, olhar para você, ver o que esta levando a boca e tentar descobrir o que te faz engordar. O resto é controle e disciplina. Você tem uma pontuação diária para comer e o que eles chamam de pro pontos, que são pontos extras semanais pra poder comer aquele chocolate, o brigadeiro ou o sorvete. Como disse, a proposta deles é comer com moderação.

    Já fiz Vigilantes três vezes, e nas três vezes atingi minha meta e sempre que saí da meta voltei a procurar os vigilantes e tentar colocar tudo no lugar certo, ou no peso certo. A verdade é que minha briga com a balança vai ser eterna, pois sempre terei que controlar o que como. É importante é deixar claro que eu não sou gorda e nunca fui mas sempre tive que controlar o que comia. Falo isso porque muitas pessoas dizem que eu não sou gorda e, eu sei disso.  Não estou tentando me enquadrar em ideais de beleza ou me acho feia quando me olho no espelho.
O que acontece é que tenho um colesterol muito alto, sou baixinha e tenho histórico de obesidade na família, já perdi 1 avô e um tio avô por doenças de coração causadas pelo excesso de peso. Meu irmão era obeso mórbido e há três anos fez cirurgia bariátrica. Mudou de vida e hoje se exercita bastante. Mas até ele tomar essa decisão tínhamos muito medo dele morrer, chegou a ter duas internações por problemas cardíacos. Com tudo isso o peso é uma grande questão para mim.


     Hoje, sou o que eles chamam de associada vitalícia, pois como atingi a meta eu deveria pesar 1 vez por mês no Vigilantes. Essa pesagem é de graça, uma espécie de incentivo para manter o peso. Minha mãe, que é minha companheira de Viigilantes diz que o programa é uma espécie de alcóolicos anônimos para gordinhas. O fato é que sempre que mantive a pesagem mensal eu consegui manter o peso, quando por preguiça parei de fazer o jornal alimentar e me pesar eu engordei.
     Voltei para o programa, recomeçando do zero mas feliz pois sei que vai ser uma questão de tempo até perder peso. Minha meta são 51kg, no momento estou com 54,700KG, ou seja, tenho no mínimo uns 5 meses de controle pela frente, pois como preciso perder pouco a perda é muito lenta. Consigo perder cerca de 1kg por mês. Mas vale a pena pois no final meus vestidos que no momento me incomodam e apertam na barriga logo logo vão voltar a passear por aí.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Começando a organizar a vida: Desafio DIY Janeiro- organização

 


   Uma das metas de ano novo era estudar mais e desde a semana passada tenho conseguido, estou lendo um livro da tese e 1 de diversão. Intercalando para poder dar conta de tudo. Como pra organizar a cabeça eu preciso organizar os espaços tive que fazer uma arrumação na mesa. Ainda aproveitei para cumprir o desafio DIY de janeiro: organização.



Primeiro: Limpei prateleiras, limpei mural e agora estou arrumando gavetas. Peguei meus cordões que ficavam expostos nele e levei para o quarto(agora vou ter que fazer outro porta cordões). Notem que estava tudo atravancado.


Segundo passo foi organizar o mural: limpar ele todo, tirar os cordões, tirei também as tachinhas simples e resolvi colocar umas enfeitadas com biscuit e pins que ganhei de estudantes.



   Como estou de férias ainda não entram meu horário das turmas, mas é uma questão de tempo. Mas já entrou o calendário do fundamental e do médio.Deixei também um trabalho que uma estudante minha fez no ano passado, a revista de moda da revolução francesa. Ficou tão lindo que vai ser guardado para sempre nos meus arquivos. Tem também minha roseta revolucionária feita por outra estudante. Minhas inspirações para 2015 na sala de aula.

(notem o detalhe que a moldura do quadro é feita com washi tapes)

 Escrevi algumas frases importantes no quadro. As primeiras são do Bakthin mas ainda vai entrar Benjamin, a ideia é olhar para elas pra ir internalizando alguns conceitos. Como diz meu marido, o segredo é eu conseguir explicar para os outros. Também estou montando um organograma de conceitos para entrar na tese, a ideia é ir colando esses quadros com washi tape na parede, deixei um bom espaço livre só pra isso.

Resultado final foi um quadro mais organizado, com as coisas importantes bem a altura dos olhos.
 na minha escrivaninha ficaram os organizadores de caneta, vidros reciclados com washi, latas e canecas.
 detalhe para o brinquedo de papel que montei de um livro que ganhei de presente do marido.


Então, o que acharam?


quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Retrospectiva Literária 2014: os melhores do Ano

   Então, como frequentemente comento sou apaixonda por livros, alguns dizem que não é paixão é vício mesmo. O fato é que eu devoro livros e leio em média 2 por semana( e não conto os livros de estudo). Felizmente não estou sozinha e tenho amigas tão viciadas quanto eu. Esse ano nossa meta era ler 70 livros, conseguimos e ultrapassamos, chegamos a 75. Cumprida essa meta chegou a hora de fazer meu top de livros desse ano. Vamos a eles, lembrando que todos que indico foram bons e eles não estão em ordem. Pois como indica o meme abaixo:
Atenção, os livros com nome em português já foram traduzidos.



1-  A Invenção das Asas: Sue Monk Kidd


   Leitura de janeiro, o que posso falar, sou apaixonada pela autora de, A Vida Secreta das Abelhas, e esse não foi diferente. A história se passa no Sul dos Eua na época da escravidão e acompanha a história de duas meninas, uma escrava e uma livre e que luta pela abolição. O livro é lindo e ao final você ainda descobre que a menina abolicionista existiu de verdade e que a história foi inspirada na vida dela.

2- O Vale do Encantamento: Amy Tan

   Outra autora queridinha, que me fez companhia na adolescência, O Clube da Felicidade e da Sorte foi lido e relido muitas vezes. A Amy não publicava nada há muito tempo.
Esse livro conta a história de Lucia que é meio chinesa e meio americana, sua mãe que era dona de umas das mais caras casas de chá de Xangai e tenta voltar com ela para os Eua. Porém um dos amantes da mãe dá um golpe e vende a menina para uma das casas das cortesãs de Xangai que eram  concorrentes da mãe como vingança. A menina então é criada para ser uma cortesã de luxo. O livro segue a vida de Lucia e depois de sua filha. A história é emocionante e li o livro em três dias.

3- My Notorius Life: Kate Manning

   
   Axie Muldoon é filha de irlandeses imigrantes da Nova York do inicio do século XX. Quando seu pai morre, a mãe que é alcóolatra é convencida por missionário a dar seus três filhos para os famosos trens de órfãos, que levavam crianças para as famílias que estavam colonizando o Oeste. Os bebês eram adotados e as crianças mais velhas acabavam virando verdadeiros escravos. Os irmãos da menina são adotados e ela acaba morando na casa de uma senhora. Axie volta para Nova York e consegue ser adotada por uma parteira. A menina aprende a profissão e também a fazer abortos, atividade proibida mas procurada por muitas mulheres. Axie é inteligente e logo começa a enriquecer na profissão. O livro acompanha sua saga. 
Outro para pegar e não largar.

4- Hibisco Roxo: Chimammanda Adichie
   
   Conheci essa autora através de uma Ted Talk famosa, o Perigo de uma História única. Ela é nigeriana e desde o começo do ano já li uns 4 livros dela. Todos são muito bons, Cimamande tem o poder de ser uma contadora de histórias que consegue fascinar. Sejam elas contos ou histórias longas. Vale a pena a leitura e o fato de conhecermos autores Nigerianos. Ajuda nossa visão de mundo.

5- A Garota que você deixou para trás: Jojo Moyes


Jojo Moyes é outra autora que virou queridinha, descobri no ano passado lendo o, Como eu Era Antes de Você,  desde então não consigo mais largar a autora. A história se passa na França ocupada durante a 1 Guerra Mundial. Conta a história De Shopie, dona de um hotel que é obrigado a servir os invasores alemães e recebe suprimentos enquanto a cidade passa fome. Você não consegue dormir e acaba lendo o livro todo de uma vez.

6- O Navio das Noivas: Jojo Moyes
   Como eu disse essa autora virou queridinha do ano. Esse livro conta a história das noivas australianas que se casaram com soldados ingleses durante a 2 guerra. Agora, com o fim da guerra elas saem da Austrália para encontrar com os maridos na Inglaterra.

7- A estrela prateada: Jeannette Walls
   Duas meninas responsáveis, uma mãe que sonha ser cantora e um tio solitário. Esse livro acompanha a história das irmãs Bean e Liz, que se vêem obrigadas a morar com o tio viúvo quando são abandonadas pela mãe. O tio, membro de uma tradicional família sulista que se encontra empobrecida vive em uma mansão que é um verdadeiro museu. Sem dinheiro sobrou o orgulho e as tradições. Nesse ambiente porém, as meninas vão encontrar uma nova alternativa de vida. 
Também sou fã da autora e recomendo tudo dela.

8- A vida do livreiro A.J Fikry
 Um livreiro viúvo, que não enxerga mais sentido na vida. Uma manhã ela acorda e descobre que seu livro mais raro, aquele que valia uma fortuna foi roubado. Na mesma noite ele encontra um bebê abandonado na livraria. Uma história de um pai por acaso, de amor aos livros e sobre encontrar sentidos na vida.

9- Ellie Jordan Ghost Trapper: J.L Bryan

 Você gosta de livros e de filmes de terror? Adora se sentir apavorado e com medo de virar a próxima página? Ama histórias com heroínas duronas e inteligentes? Se respondeu sim as perguntas anteriores você vai amar essa série. Já foram lançados dois livros e o terceiro sai em abril.( nem preciso dizer que li os dois em menos de dois dias).

10- The Lies we tell Ourselves: Robin Talley


  Se tivesse que escolher um favorito do ano todo o escolhido teria sido esse. Há muito tempo uma história não me mobilizava tanto. Li cada pedacinho e marquei várias passagens. O livro conta a história de duas meninas, uma branca e uma negra nos Eua dos anos 50. Ele fala sobre uma escola que é obrigada pelo governo a promover a integração racial. Cada parte do livro é narrada por uma das meninas. A história é bem escrita e um verdadeiro soco no estômago quando falamos da questão do preconceito. Não quero contar mais, apenas recomendo: leia.

Bem, essa é minha lista com os 10 melhores. Não foi fácil de fazer e colocaria pelo menos mais 10 livros  favoritos. Ficou curioso? Quer ver a lista completa? Entra na minha página no good reads.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Retrospectiva 2014:


Hoje, penúltimo dia do ano resolvi finalmente publicar minha retrospectiva 2014. Seguindo as ideias do Rotarrots resolvi fazer olhar minhas promessas 2014, principalmente as que não cumpri. Para aprofundar mais ainda, fiz uma lista por escrito das metas para 2015 para no final do ano não ter mais desculpas.



1- Perder 2 Kilos:

Não só não consegui como engordei mais 2 por conta de uma medicação. A ideia é perder mais me alimentando melhor e fazendo exercício.

2- Estudar mais para o doutorado:

Li bastante, mas escrevi pouco e não tive muita disciplina. Em 2015 não vou poder fazer mais isso.

3- Escrever mais:

Ainda promessa do doutorado, não fiz quase nada.

4- Morar com namorido:

Me mudei definitivamente em julho e hoje a casinha é nossa.

5- Voltar a fazer artesanato:

 Voltei com força total e participei de alguns eventos. Amei e quero mais.

6- Ler 70 livros:

 Foram 73 e não contei o material de estudo. Ano que vem quero ler no mínimo 30 para o doutorado.

7- Viajar:

 A meta é poder viajar nas férias do ano que vem, nem que seja rápido. Em janeiro vou ficar estudando e correndo atrás do prejuízo.

8- Fazer mais resenhas de livros:

Esse ano fiz algumas mas quero organizar mais isso pro ano que vem.

9- Encontrar mais com as amigas:

Sucesso total, esse ano consegui equilibrar amigas e vida.

10- Voltar a blogar:
Essa meta foi cumprida com sucesso.

11- Não gastar dinheiro com roupas:

 Preciso perder peso para que minhas roupas voltem a caber. Isso é o fundamental e não o contrário.

12- Voltar a escrever no meu caderno/ diário.

Acabei usando muito a internet e o pobrezinho ficou negligenciado.

Bem, é isso. Que venha 2015 cheio de luz e conquistas.



terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Aliexpress papelaria

   Hoje recebi uma surpresa natalina, uma compra de papelaria que fiz em julho chegou. Nem acreditava mais que iria receber a bendita, ou seja ainda há esperança para quem espera suas comprinhas no Ali.
   Eu havia comprado canetas coloridas, carimbos, fitas e adesivos para fazer tags e personalizar as embalagens das coisinhas que vendo no bazar( descobri um amor recente e incontrolável por embalagens personalizadas). Estava bem desanimada e hoje me senti recebendo uma surpresa de Natal. Adorei e estou louca para fazer tags pros presentes natalinos.
Sou apaixonada por materiais de papelaria e hoje mesmo fiquei um bom tempo namorando os produtos da papel Craft e resmungando como eles eram caros( principalmente por que sei que muitos são made in China).
Abaixo seguem as fotos das coisinhas:

 Canetas coloridas de ponta bem fina.
 Mais canetas, essas com a ponta um pouco mais grossa.
 as cores são lindas.
 coloquei todas em uma latinha de suco de laranja que ganhei há alguns anos em uma troquinha com uma menina que morava em Twain.
 fitas adesivas com motivos de renda, comprei para experimentar e já posso dizer que não me agradou muito pois pra quem se acostuma a usar washi tape é impossível voltar a usar a fita durex comum, por mais que seja fofa.
 adesivos do amor
e finalmente os meus carimbos lindos.
A loja é essa http://pt.aliexpress.com/store/222734 e minha compra toda saiu por menos de 30 reais. recomendo muito a loja afinal o atraso esta longe de ser culpa deles. Só para vocês terem ideia o correio brasileiro recebeu a encomenda em agosto.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Alfinetes de Natal

Semana passada recebi uma encomenda bem legal: produzir 10 alfineteiros para uma confeção. Era o presente de natal das estilistas. Pedi ajuda pra minha mãe, pois sou uma negação na costura, que fez os alfineteiros. Os alfinetes foram feitos em biscuit no tema de costura: maquininha, tesoura, modelo e menininha(usando roupas fofas). Tudo bem pequeno e do jeito que eu gosto. Terapia de fim de ano.

 almofadas costuradas esperando recheio. Não usei acrilon e sim plumagem que deixa o alfineteiro mais macio para as agulhas.
 colocando a plumagem.
 linha de montagem.
detalhes
Resultado quase final, ainda falta a embalagem que também vai ser caprichada. Natal artesanal e personalizado.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails