terça-feira, 19 de agosto de 2014

Leituras: O Livro dos Mil Dias

 

Título: O Livro dos Mil Dias
Autor (a): Shannon Hale
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Ano: 2014
Recomendação: Vale muito a pena.

 Sou apaixonada por contos de Fadas e desde a adolescência as histórias de princesas sempre me fascinaram, principalmente por que nos meus contos prediletos as mocinhas sempre foram muito mais ativas e batalhadoras que os príncipes. Dito isso todo o livro com contos de fada me fascina e, esse foi o caso do Livro dos Mil Dias.
     Esse livro conta a história de uma nobre Lady Saren, que ao se recusar casar com o pretendente que seu pai escolheu é obrigada a ficar trancada em uma torre por 7 anos. Até aí a história se parece com um conto de fadas clássico, a diferença porém reside no fato de que a narradora dessa história é a criada da mocinha trancafiada, Dashti. A criada vem de uma tribo de nômades, uma espécie de ciganos das planícies misturados com beduínos árabes, e essa é outra diferença da história que se passa em uma terra imaginária bem parecida com os relatos das Mil e Uma Noites.
     O livro é escrito em forma de um diário feito pela criada Dashti que vê como sua principal obrigação cuidar de sua senhora, impedir que ela enlouqueça e garantir que as duas sobrevivam ao período na torre. A história é dividida em duas partes: os anos passados na torre e o momento em que elas conseguem sair.
     Apesar da primeira metade do livro ser passada na torre isso não torna a história lenta pois nos relatos de Dashti conseguimos descobrir um pouco mais da história da criada e da vida de Lady Saren.
     O nome do livro também tem significado pois, segundo Dashti, seu povo acredita que a melhor maneira de se conhecer o coração de uma pessoa é preciso viver com ela mil dias.



Li o livro em uma semana, e isso já é um indicativo de uma história que tem tudo para entrar na minha lista de favoritos do ano. Outra coisa bem legal é que a autora é Shannon Hale, a mesma do livro Austen Land, que inclusive virou filme em 2013. Leitura recomendada e que vale a pena.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Congresso da Escola: Educação Para a Vida.

   Como já falei algumas vezes aqui no Blog sou professora de história e tenho a sorte de trabalhar em um espaço que valoriza muito a educação. Neste fim de semana tivemos o Congresso da escola, onde em um fim de semana inteiro nos divertimos, fazemos oficinas e discutimos educação.
     Esse ano o encontro foi no Sesc de Nogueira e dele participaram todos que fazem parte da escola, isso inclui professores, coordenadores, secretários, funcionários administrativos e da limpeza, ou seja. Todo mundo mesmo, não tem exclusão pois na filosofia dessa escola todos fazem parte do nosso trabalho de educar. Só por esse fator já acho a minha escola um lugar lindo.
    Depois de dois dias de muito trabalho e alegria só posso dizer que voltei renovada, cansada das atividades e cheia de ideias para aplicar em sala com os estudantes. Já estou nessa escola há uns 7 anos e a cada ano que passa os encontros ficam melhores.
    Nesse ano, além das atividades que englobavam toda a equipe participei de duas oficinas: entrelaçando saberes e Por Que ele não quer nada?
    Na primeira lemos um texto da Marina Colasanti, Além do Bastidor, e produzimos arte. Isso mesmo, a ideia era ler, sentir e produzir. Impressionante como saímos de lá tranquilos e em paz. O poder de mexer com as mãos. Nessa oficina participaram três funcionárias da limpeza, elas estavam super acanhadas e quando viram que a proposta era fazer arte uma delas declarou:
- Eu não sei fazer nada, só sei trabalhar. - achei a fala maravilhosa, pois como assim trabalhar não é fazer nada. Trabalhar é muita coisa. Engraçado como ainda temos a visão que o trabalho braçal é menos importante que os outros. Parece que esquecemos que esses são fundamentais para a sociedade. Fizemos arte e aprendemos a fazer mandalas do olho divino. Enquanto fazíamos o olho divino, essa mesma funcionária declarou que tinha adorado fazer aquilo, que produzir assim era uma delícia.
 

Uma das leituras do Encontro

Minha Produção da Oficina

Produção da Oficina

Oficina Tecendo Palavras


Produção da Oficina de Saberes

Uma das produções do : Ele não quer nada

belezas do Entremeando Saberes
Na segunda oficina, nos juntamos para ler e debater o por que alguns estudantes não se interessam pela escola. Essa oficina foi bem legal, pois os textos nos levaram a um debate mais importante: o pra que serve a escola? Pois como diria Rubem Alves, a criança é curiosa e ama aprender, mas para isso a aprendizagem deve fazer sentido, ter significado e precisa ser rodeada de afeto.  Saí dessa oficina com a cabeça cheia, doida pra ir criar e pensar no que poderia levar para sala de aula.  Já estou pensando em uma oficina sobre Egito e de formar cantos de trabalho. Imaginei a sala fervilhando com as produções e ideias dos meus estudantes.

     No domingo, todos apresentaram para a equipe os trabalhos de cada oficina, e posso dizer que essas apresentações me afetaram e deixaram um gosto de quero mais. Adorei meu fim de semana de muito trabalho e encontros.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Prêmio Very Inspiring Blogger

   

Olha que legal, hoje descobri que a Carla Moreira do blog Saia de Crepom, que eu acompanho escolheu o Ovelha como um dos 15 blogs inspiradores. Fiquei super feliz com o carinho da indicação.
 Junto com o prêmio eu tenho que cumprir duas regrinha: falar de 7 fatos sobre mim e indicar outros 15 blogs que me inspiram. Vamos lá.

7 fatos sobre mim:
  1. Até terminar a faculdade eu não queria ser professora e fui pesquisadora de história na Biblioteca Nacional e no Arquivo Nacional por 3 anos.
  2. Sempre odiei esportes mas de uns anos pra cá descobri o Pilates e a Yoga e me apaixonei.
  3. Na escola era uma das mais tímidas.
  4. Sou alérgica a grande maioria dos medicamentos pra dor como Novalgina e Tylenol.
  5. Adoro animais de estimação e sou dona de um coelho anão.
  6. Minha grande paixão são os livros, leio em média um por semana.
  7. Tenho 1 piercing e duas tatuagens. Nenhum deles é visível e a maioria das pessoas fica surpreso quando descobre que tenho.


15 Blogs inspiradores:

  1. Jéssica do: Minhas Singularidades.
  2. Camila do: Chá de Calmila
  3. Carol do: Uma cadeira por favor
  4. Daniele do: Mimimi e fofurices
  5. Isabella: Strawberry Fields
  6. Stephany: Feita com muito esmero
  7. Mira: A moda da Mira
  8. Anna: Creyssa Phyna
  9. Kely: Boneca de Pano
  10. Marisol: Hoje vou assim vintage
  11. Alice: No país da Alice
  12. Bianca: Two bee
  13. Jess:  Criativo Caos
  14. Queti: Casa de Bonecas
  15. Isadora: Na Nossa Vida



segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Deixando o egoísmo de lado

   Ontem foi um dia super difícil, pois demos nossa cachorrinha, a nossa Arya foi para uma casa com quintal. Sei que a vida sempre nos coloca diante de situações difíceis e que as vezes precisamos tomar decisões que não podem ser egoístas. Isso aconteceu com nossa cachorrinha.




   Arya foi adotada em janeiro, no primeiro dia do ano, ela e cinco irmãos foram abandonados em uma rua do Méier junto com a mãe que estava com a pata quebrada. Eles foram recolhidos por um rapaz, amigo de uma amiga que logo divulgou a história no face para doar os cãezinhos.

   Eu e namorido andávamos querendo muito um cãozinho e nos empolgamos. Sempre tive cães, desde de menina, todos de raça e bem pequenos. Levados mas acostumados com a vida de apartamento. Adotamos a Arya e nos apaixonamos, ela era linda e super alegre, a cachorrinha perfeita. Ela era esperta e em pouco tempo aprendeu a fazer xixi no lugar certo. me seguia que nem sombra pela casa. Eu estava de férias em janeiro e tudo correu dentro do esperado, com travessuras comuns de cachorro.

   Em fevereiro voltei a trabalhar e no primeiro dia prendemos ela na cozinha com água, comida, brinquedos e ventilador ligado. Ela chorou e latiu desesperadamente, o dia todo. Uma vizinha ligou pra minha sogra e mentiu dizendo que tinhamos trancado o cãozinho na área de serviço(que é minúscula e muito quente). Minha sogra ficou o dia com ela. Resolvemos colocar a menina no quarto, com o ar ligado e minha sogra vinha todo dia a tarde pra fazer companhia a ela, que ainda era muito pequena. Achamos que ela logo ia acostumar, pois quando estávamos perto ela era calma e nos seguia pra todo canto.
    O tempo passou, ela cresceu começou a andar na rua conosco, continuava muito levada e fazia a maior bagunça na casa. Rasgava roupas, arrebentou portas, lençóis, e um monte de coisas. Como sempre tive cachorro achava que era fase, que ia passar. Levamos no veterinário, vacinamos e resolvemos comprar florais pra ansiedade.O tempo passou e ela ainda latia o dia todo, pois eu saio cedo e chego tarde, namorido idem. Arya passava muitas horas sozinha apesar da minha sogra ficar um pouco com ela a tarde. Ela sentia muito nossa falta e por isso começou a fazer cada vez mais artes. Rasgou sua caminha e nosso colchão, começou a raspar a parede e a espalhar o jornal de xixi pela casa, colocar na nossa cama. A mocinha estava pedindo ajuda, reclamando que ficava sozinha da única maneira que conhecia.
    Minha sogra então falou com um adestrador e ele pediu desculpas, pois não poderia adestrar nossa menina, o que ela tinha era solidão. Tentamos outro e a fala foi a mesma, tinhamos que ficar mais tempo com ela. Isso, infelizmente não era possível e começamos a pensar na decisão mais dificil: em quem poderia querer nossa menina, alguém que pudesse dar a ela todo o carinho que ela merecia.
     Um conhecido nosso nos disse que sua sogra tinha acabado de perder o cãozinho que morrera de velhice. Ela morava em uma casa com quintal bem grande e era aposentada e queria muito outro companheiro peludo.
    Conversamos e resolvemos no que seria melhor pra ela, uma casa com espaço e pessoas. Tudo que nossa mocinha precisava. No sábado ela foi embora e embora eu saiba que fiz o melhor pra ela passo o dia buscando a mocinha pela casa. As vezes nossa vida corrida é uma droga e tudo que a gente queria era poder ter mais tempo.
   

domingo, 10 de agosto de 2014

Enfeite de Parede: Animal Empalhado

   Pois é, já tinha visto em vários blogs de decoração as famosas cabeças de animais empalhado(de mentira). Queria muito uma, mas elas são bem carinhas. Nada que um pouco de criatividade e reciclagem não resolvam: eu fiz a minha!
 
Material:
cabeça feita em biscuit,
tampa de uma caixa de mdf(ganhei umas 20 caixinhas dessas de uma amiga, estavam só esperando pra virarem projeto)
washi tape
papelão
cola de silicone( ou qualquer outra bem resistente)

 tampinha limpa e pronta pra ser enfeitada

 animal em biscuit modelado por mim

 washi tape

 tomando forma
 quase lá


 plaquinha com inscrição
cole o papelão atrás e prenda na parede, usei fita adesiva dupla face.


quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Material de Bijuteria no Aliexpress

   Sei que muita gente usa o aliexpress pra comprar roupas, mas pra mim eles são uma grande fonte de materiais para artesanato de vários tipos diferentes. Agora que voltei a fazer cordões tenho me divertido procurando pingentes fofinhos e coisinhas minis.
   Em março comprei vários pingentes dessa loja: dorabeads, gastei cerca de 40 reais. Os pingentes demoraram bastante pra chegar, até já tinha desistido apesar de ter feito outras compras nessa mesma loja e elas terem chegado em um mês. Apesar da espera gostei bastante pois a qualidade dos pingentes é boa e eles são iguais aos da foto. Vem muito bem embalados.
 Gostei da compra e já comecei a criar com eles.
 caixinha de leite que é só amor.
 rosa de resina bem delicada
 livro de receitas
 fita métrica

 jarro de biscoitos é apaixonante
 medidor de líquidos
 tesoura
 forma de cupcakes
todos lindos e minis prontos para virarem brincos, colares e pulseiras.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Domingo é dia de Washi Tape

   Neste domingo, aproveitei o dia frio para ficar em casa e fazer uns projetos que andava adiando. Já faz algum tempo que comprei um arquivo de papel para organizar documentos. O arquivo foi comprado em papel cartão que além de ser bem mais barato permite customizar. Aproveitei pra mudar a parte de cima com minhas washi tapes mas acho que ainda falta algo. Estou pensando no que vou usar pois andei comprando alguns carimbos na AliExpress e estou só esperando chegar. Quem quiser olhar o link da loja de carimbos é só clicar, mas vou avaliar depois. Comprei também canetas coloridas e washi tapes nessa mesma loja.


      Além do arquivo, aproveitei para transformar uma etiqueta de loja em marcador de livro, mais um projeto de reciclagem pois a etiqueta é super grossa, acho que é de papel panamá. Estava guardada há algum tempo só esperando uma utilidade. Passei washi tape e pendurei um cordão e uma matrioska que fiz de biscuit. Adorei o resultado.





O ultimo projeto era mais simples e foi inspirado no pinterest, de colocar washi tapes em pregadores de roupa. Passei as fitas mas vou usar uma mistura de água e cola branca( mod podge caseiro) pra deixar mais resistente. Eles ficaram lindos e estou pensando em pendurar no quadro de eucatex que eu customizei.

Abaixo o resultado do domingo craft:









LinkWithin

Related Posts with Thumbnails